O won sul-coreano agora supera a demanda de negociação de criptografia

Pontos chave:

  • O won sul-coreano se torna a principal moeda para o comércio global de criptografia, atingindo US$ 456 bilhões no primeiro trimestre de 1, ultrapassando o volume em dólares.
  • A preferência por altcoins em relação às principais criptomoedas é evidente na Coreia do Sul, com mais de 80% da atividade comercial envolvendo tokens menores.
  • Preocupações com as pensões e o aumento dos custos dos seguros entre os jovens coreanos, enquanto os políticos prometem políticas favoráveis ​​às criptomoedas.
De acordo com o Bloomberg, o won sul-coreano emergiu como a principal moeda para negociação de criptoativos em todo o mundo, refletindo um aumento na demanda especulativa por tokens de risco dentro do país.
O won sul-coreano agora supera a demanda de negociação de criptografia

Won sul-coreano surge para dominar o comércio global de criptografia

Dados da empresa de pesquisa Kaiko revela que no primeiro trimestre de 2024, o won sul-coreano foi responsável por impressionantes US$ 456 bilhões em volume acumulado de comércio em bolsas criptográficas centralizadas, ultrapassando os US$ 445 bilhões negociados em dólares.

Esta tendência é parcialmente atribuída a uma guerra de taxas entre as bolsas sul-coreanas, com plataformas menores como Bithumb e Korbit oferecendo promoções comerciais sem taxa para atrair traders de players dominantes Upbit, que comanda mais de 80% do mercado local de negociação à vista.

Na Coreia do Sul, as preferências inclinam-se fortemente para tokens mais pequenos e mais voláteis, conhecidos como altcoins, que constituem, em média, mais de 80% da atividade comercial, divergindo da tendência global que favorece criptomoedas maiores, como Bitcoin e Ether.

Promessas Políticas e Respostas Regulatórias

Apesar de ser um mercado significativo para criptomoedas, Coreia do SulO ambiente regulatório rigoroso da China limitou a concorrência estrangeira, com apenas algumas empresas selecionadas autorizadas a oferecer serviços que combinam criptomoedas com moeda fiduciária.

Uma pesquisa conduzido pelo Korea Women's Policy Institute em julho de 2023 descobriu que quase 90% dos entrevistados com idades entre 20 e 30 anos expressaram preocupação com suas pensões devido ao medo do aumento dos custos dos seguros em meio a uma população em declínio.

A demanda febril por criptoativos entrou até na arena política, com promessas feitas durante as recentes eleições parlamentares para atrasar os impostos sobre ativos digitais ou aliviar as restrições ao investimento em ETFs Bitcoin dos EUA em uma tentativa de cortejar os eleitores.

Respondendo às preocupações sobre a proteção do usuário após o colapso do TerraUSD, os reguladores sul-coreanos deverão introduzir regras mais rígidas a partir de julho. O colapso de US$ 40 bilhões do TerraUSD, criado por Do kwon, ressaltou a necessidade de maior supervisão no espaço das criptomoedas.

O won sul-coreano agora supera a demanda de negociação de criptografia

Pontos chave:

  • O won sul-coreano se torna a principal moeda para o comércio global de criptografia, atingindo US$ 456 bilhões no primeiro trimestre de 1, ultrapassando o volume em dólares.
  • A preferência por altcoins em relação às principais criptomoedas é evidente na Coreia do Sul, com mais de 80% da atividade comercial envolvendo tokens menores.
  • Preocupações com as pensões e o aumento dos custos dos seguros entre os jovens coreanos, enquanto os políticos prometem políticas favoráveis ​​às criptomoedas.
De acordo com o Bloomberg, o won sul-coreano emergiu como a principal moeda para negociação de criptoativos em todo o mundo, refletindo um aumento na demanda especulativa por tokens de risco dentro do país.
O won sul-coreano agora supera a demanda de negociação de criptografia

Won sul-coreano surge para dominar o comércio global de criptografia

Dados da empresa de pesquisa Kaiko revela que no primeiro trimestre de 2024, o won sul-coreano foi responsável por impressionantes US$ 456 bilhões em volume acumulado de comércio em bolsas criptográficas centralizadas, ultrapassando os US$ 445 bilhões negociados em dólares.

Esta tendência é parcialmente atribuída a uma guerra de taxas entre as bolsas sul-coreanas, com plataformas menores como Bithumb e Korbit oferecendo promoções comerciais sem taxa para atrair traders de players dominantes Upbit, que comanda mais de 80% do mercado local de negociação à vista.

Na Coreia do Sul, as preferências inclinam-se fortemente para tokens mais pequenos e mais voláteis, conhecidos como altcoins, que constituem, em média, mais de 80% da atividade comercial, divergindo da tendência global que favorece criptomoedas maiores, como Bitcoin e Ether.

Promessas Políticas e Respostas Regulatórias

Apesar de ser um mercado significativo para criptomoedas, Coreia do SulO ambiente regulatório rigoroso da China limitou a concorrência estrangeira, com apenas algumas empresas selecionadas autorizadas a oferecer serviços que combinam criptomoedas com moeda fiduciária.

Uma pesquisa conduzido pelo Korea Women's Policy Institute em julho de 2023 descobriu que quase 90% dos entrevistados com idades entre 20 e 30 anos expressaram preocupação com suas pensões devido ao medo do aumento dos custos dos seguros em meio a uma população em declínio.

A demanda febril por criptoativos entrou até na arena política, com promessas feitas durante as recentes eleições parlamentares para atrasar os impostos sobre ativos digitais ou aliviar as restrições ao investimento em ETFs Bitcoin dos EUA em uma tentativa de cortejar os eleitores.

Respondendo às preocupações sobre a proteção do usuário após o colapso do TerraUSD, os reguladores sul-coreanos deverão introduzir regras mais rígidas a partir de julho. O colapso de US$ 40 bilhões do TerraUSD, criado por Do kwon, ressaltou a necessidade de maior supervisão no espaço das criptomoedas.

Visitado 159 vezes, 1 visita(s) hoje